Saúde Esportiva - Saúde, Nutrição, Estética, Beleza

Espinhas e Acne - Como tratar

Acne - GNU Free Documentation License
Manifestada principalmente na puberdade - fase da vida em que o envolvimento hormonal é bastante relevante - a acne é um terror para os adolescentes e pré-adolescentes, uma vez que atrapalha a aparência e afeta sua auto-estima. Calcula-se que, a cada dez jovens, oito sofram do problema.

Se não chegam a ser um empecilho na hora da paquera ou de se apresentar a outras pessoas, ao menos inibem aquele ou aquela que está com o rosto cravejado pelas espinhas. "Alguns jovens podem nem tentar chegar perto de um menino ou menina em função de sua aparência", conta a psicóloga e psicoterapeuta de adolescentes e adultos Carla Wilasco.

AUTO-MEDICAÇÃO NÃO É O CAMINHO

O problema acontece na hora que o adolescente quer se livrar destas incômodas e antiestéticas marcas no rosto. Na ansiedade de ficar com a pele limpa, o jovem acaba, às vezes, usando produtos e medicamentos que deveriam ser indicados somente por um médico. A automedicação no tratamento da acne pode ser perigosa para a saúde, afirma o médico estético Renato Rössler, da Clínica de Medicina Estética Rössler, de Porto Alegre. Segundo ele, "o portador de acne pode ser estigmatizado na sociedade, levando a grande impacto emocional, o que requer uma abordagem clara e compreensiva por parte do médico".

COMO TRATAR?

Fisicamente, a acne pode ser tratada por meio de medicamentos, produtos que agem contra as bactérias causadoras da inflamação e com tecnologias da Medicina Estética, explica Renato Rössler. Portadores de casos mais leves, elucida o especialista, podem se beneficiar com a aplicação de acido salicílico e extração manual dos comedões abertos por um profissional competente. Já os casos mais graves "podem requerer a aplicação de certos ácidos na forma de peelings, bem como o uso de antibióticos", esclarece.

Ainda com relação à medicação, Renato Rössler ressalta que algumas medicações (como isotretinoína) são reservadas para episódios mais complicados devido a seus efeitos adversos. "Convém lembrar que com freqüência o tempo de tratamento requerido pode se estender por meses para que se alcancem resultados satisfatórios", diz o médico. A acne pode ter como conseqüência cicatrizes inestéticas profundas, elevadas ou mistas. O tratamento estético vai requerer uma abordagem mais profunda da pele, sendo que os resultados dependerão da gravidade das cicatrizes, avalia o especialista.

CUIDE DO PSICOLÓGICO

No entanto, deve-se também olhar pelo lado psicológico do que a simples presença da acne pode causar. A psicóloga Carla Wilasco explica que o pré-adolescente encontra-se numa fase da vida conflituosa em que se passa por grandes transformações no corpo. Nisso, surgem as comparações com os que o rodeiam e o questionamento de como é visto, gostado e valorizado. "Por ser uma coisa que chama a atenção na aparência, a acne pode contribuir para uma insegurança do jovem, principalmente quando começam a ser rotulados com apelidos", salienta Carla.

Nesta hora, a boa relação com os pais e com a família e fundamental. É sabido que a criança educada com auto-valorização e confiança em si próprio enfrenta com mais naturalidade as adversidades da vida. Os pais, inclusive, podem ajudar seus filhos a enfrentar os clássicos problemas surgidos pela insegurança da idade, como irritação, agressividade, tristeza, baixo rendimento escolar e até depressão. Carla aponta duas pistas para os pais diagnosticarem tanto a gravidade quanto a extensão destes problemas: a observação da intensidade e da freqüência destas manifestações.

Cientes disso, os pais poderão ter uma melhor noção de como abordarem seus filhos. "Na medida em que percebem mudanças no comportamento do filho, primeiro devem procurar conversar amigavelmente para saber o que está havendo, sem tendência para a via da crítica ou da repressão", ressalva Carla. Para a especialista, a segunda medida que os pais podem tomar para ajudar seus filhos é entrando em contato com a escola. "Na escola aparecem outros comportamentos do filho, como a relação com colegas e professores, que dificilmente aparecem dentro de casa", indica a psicóloga.

PESQUISAS

Segundo pesquisa divulgada no ano passado por cientistas da Universidade de Georg-August, na Alemanha, a acne atinge até 80% de jovens. Porém, há ocorrência também em pessoas mais velhas. A chamada acne vulgar aparece na adolescência e pode durar até 25 ou 26 anos. Mesmo assim, o Departamento de Cosmiatria da Sociedade Brasileira de Dermatologia, de São Paulo, estima que até 10% das pessoas têm acne depois dessa idade.

Um estudo da Fundação da Universidade de Pernambuco revelou que 88,3% das mulheres na faixa dos 26 anos manifestam ansiedade em decorrência de inflamações na pele. Outras 70% disseram sentir "desgosto" por ter acne e 65% confessaram que têm medo de que as espinhas nunca desapareçam.

Estudos atestam que adolescentes do sexo masculino são mais acometidos da doença do que o feminino. No entanto, é nas meninas que se encontram as formas mais graves. Estimativas na população da faixa entre os 12 e 24 anos atingem até 85% de incidência.

CAUSAS

A Acne é causada por alteração em quatro fatores principais:
- A produção de sebum
- Alteração das células do folículo
- Ação da bactéria Propionibacterium Acnes
- Inflamação do folículo.

FORMAÇÃO

Na puberdade ocorre um aumento da produção de hormônios chamados "androgênios adrenais". Estes hormônios causam o aumento dos folículos pilosebáceos e da produção de sebum no rosto, ombros, colo e costas. Juntamente a isso, acontece também uma maior descamação de células do folículo. A combinação de células descamadas e sebum forma uma rolha que tampa a saída do folículo. Esta rolha é o chamado comedão, ou "cravo", que facilitam a ação de bactérias que liberam substâncias que inflamam a pele. Existem algumas formas de acne, como comedões

Créditos: Daniel Rodrigues - daniel@marthabecker.com.br
Martha Becker Assessoria & Comunicação

DICA (Por Marília Fernandes)

Uma alimentação saudável e equilibrada, que privilegie certos nutrientes e compostos bioativos, tem papel relevante na prevenção e tratamento da acne. A dieta indicada deve conter alimentos fonte de isoflavonas (soja) e lignanas (linhaça) para auxiliar na modulação hormonal. Deve ter adequação em nutrientes e fitoquímicos antioxidantes (Vitamina C, E , betacaroteno, bioflavonóides, compostos fenólicos) que combatem a produção aumentada de radicais livres e ser equilibrada em relação aos ácidos graxos essenciais ômega 3 e ômega 6.

Pacientes submetidos ao tratamento medicamentoso de isotretinoína podem apresentar efeitos colaterais como: aumento dos níveis de colesterol, triglicérides e enzimas hepáticas e diminuição de cálcio e vitamina D, sendo assim, o acompanhamento de um nutricionista no tratamento e prevenção da acne se faz necessário para a devida adequação da dieta (macro e micronutrientes).


Leitura adicional:
Cravos e Espinhas - Mitos sobre as causas
Tratamento contra Acne
Acne



Pele saudável

Item Pintas e manchas na prevenção do câncer de pele

Item Minimizar rugas de expressão

Item Vitiligo e psoríase

Item Envelhecimento da pele

Item Pele Saudável

Item Nutracêuticos e seus efeitos na Pele

Item Espinhas e Acne - Como tratar

Item Proteção da Pele no Inverno

Item Tratamento da Pele Seca

Item Cuidar da Pele

Item Pele na gravidez

Item Acne X Verão

Item Psoríase

Item Micoses - Dicas para evitar

Item Bronzeado - Cuidado com os prezuízos à saúde e câncer de pele

Item Filtro Solar e Proteção contra Radiação do Sol


Saúde Esportiva - © 2007-2015 Helio Fontes - Política de privacidade
Email para contato